quarta-feira, 4 de março de 2009

O Milagre de um novo dia

"Hoje eu me levantei cedo pensando no que tenho
para fazer antes que o relógio marque meia noite.
Eu tenho responsabilidades para cumprir hoje.
Eu sou importante.
É minha função escolher que tipo de dia terei hoje.
Hoje eu posso reclamar porque está a chover
ou posso agradecer pela água.
Hoje eu posso ficar triste por não ter muito dinheiro
ou posso me sentir encorajado para administrar minhas
finanças sabiamente, mantendo-me longe de desperdícios.
Hoje posso reclamar sobre minha saúde
ou posso dar graças a Deus por estar vivo.
Hoje eu posso me queixar dos meus pais por
não terem me dado tudo o que eu queria quando estava crescendo,
ou posso ser grato a eles por terem permitido que eu nascesse.
Hoje eu posso lamentar decepções com amigos
ou posso observar oportunidades de ter novas amizades.
Hoje eu posso reclamar por ter que trabalhar
ou posso vibrar de alegria por ter um trabalho.
Hoje eu posso choramingar por ter que ir à escola
ou abrir minha mente com entusiasmo
para novos conhecimentos.
Hoje eu posso sentir tédio com trabalho doméstico
ou posso agradecer a deus por me ter dadoa benção de um tecto
que abriga meus pertences, meu corpo e minha alma.
Hoje eu posso olhar para o dia de ontem
e lamentar as coisas que não saíram como eu planeei
ou posso algrar-me por ter o dia de hoje para recomeçar.
O dia de hoje está à minha frente esperando para ser o que eu quiser.
E aqui estou eu, o escultor que pode dar-lhe forma.
Depende de mim como será o dia de hoje
diante de tudo que encontrarei.
A escolha está entre minhas mãos:
Hoje posso observar a minha vida vazia
ou posso algremente receber
o Milagre de um Novo Dia!!!"
Sílvia Schmidt

3 comentários:

Cat disse...

Olá, olá...tudo bem?
Passei para te desejar uma boa semana e para te pedir que passes em http://desafio-maosdefada.blogs.sapo.pt/ e votes nos meus chinelos.
Beijinhos e obrigado

Carla disse...

Oi amiga, obrigado pela visita e comentário. Acredite se quiser só tenho tres das telhas todas que já fiz até hoje e porque me recuso a ficar sem elas. Cem destas telhas foram para um casal que se casou e quiz oferecer uma telha a cada familia que compareceu ao casamento, as telhas foram a prenda dos noivos aos convidados, e o pessoal adorou, claro que fiquei que parecia um pavão de vaidade ih ih ih, depois já surgiram vários eventos deste tipo mas não aceitei porque não tenho tempo disponivel para me encarregar de outra aventura destas, quem sabe um dia.....Bj

guida disse...

Bonita reflexão.
Como prenda tem um miminho para si no meu blog.
Beijocas